FAÇA VOCÊ MESMA: ESTAMPANDO EM CASA

Estampar em casa é um sonho por um milhão de motivos. Primeiro que você pode customizar uma peça lisa e adicionar um toque de interessância que é só seu, exclusivo e exatamente do seu jeito. Segundo que dá para reproduzir aquela estampa que você mesma fez ou viu na revista e que não acha de jeito nenhum. Dá para pegar a estampa de uma peça e usar em outra… Um mundo de possibilidades. A ideia desse post é dar uma luz para quem quer fazer essas pequenas customizações caseiras de uma forma bem feitinha.

Método transfer e ferro quente
O jeito mais fácil de estampar em casa envolve papel transfer e ferro bem quente (pelando mesmo). O transfer é um papelzinho que você compra em papelarias, tipo a Kalunga. Você pode desenhar a sua estampa em cima do papel, colocar sobre a peça e passar o ferro. O desenho precisa ser espelhado, ou seja, na posição inversa da que você quer que apareça, tipo quando a gente escreve no espelho. Se habilidades artísticas passam longe da sua pessoa, vale decalcar ou mesmo imprimir a imagem no transfer em vez de desenhar.
Caso escolha imprimir, é preciso ter um cuidadinho: se usar impressora a laser a estampa tem uma durabilidade maior. Se usar impressora tipo jato de tinta, dura menos. As meninas das fotos usaram o método do transfer para fazer peças inspiradas na Miu Miu!

Essa técnica funciona super bem com imagens localizadas, tipo a estampa da Miu Miu. Mas, se a sua ideia é imprimir uma imagem única tomando uma grande extensão da peça, saiba que não vai ficar tão legal e o resultado pode ser uma vibe metaleiro do colegial ou fã clube da Menina Isabela. Isso porque a desvantagem do transfer é que ele deixa o ponto onde foi aplicado um pouco durinho. Quando usado para estampar pequenas áreas fica lindo, mas uma fotona imensa bem no meio da camiseta não fica exatamente chique quando impressa dessa forma.

 Método canetinha para tecido
Sabe aquelas canetinhas para tecido que as mães às vezes usam para identificar qual peça é de cada filho? Você pode usá-las para fazer desenhos nas roupas. De novo, se a pessoa se garante no desenho, pode fazer à mão livre, mas as mortais também se viram.
Pegue uma superfície durinha, como uma radiografia, por exemplo, decalque sua estampa em cima, corte com estilete e use como forma para pintar só o preenchimento.

Stêncil manual
O stêncil manual usa o mesmo princípio da canetinha: você deve fazer uma tela para servir como forma, mas, em vez de usar a canetinha, vai usar tinta spray ou tinta para tecido, ambas vendidas em lojinha para artesanato. Pega a tinta, passa no rolinho, aplica no tecido. Simples assim. Cuidado para não colocar tinta em excesso, melhor passar um pouquinho, esperar secar, passar outro pouquinho e esperar secar, até ficar do jeito que você quer.
Viu só que não é difícil? Se estiver insegura, testa antes em uma camisetona velha e se joga. O que não vale é aposentar uma peça antes do tempo só porque cansou da cara dela. Muda de cara, ué. Se Larissa Riquelme pode, suas roupas também podem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: